Consulta Alunos  

Imprimir

O 11.º E – Curso Profissional Técnico de Multimédia – foi ao Porto

Escrito por Webmaster. Publicado em Escola Secundária de Esmoriz

Ir à “leal cidade, donde teve / Origem – como é fama – o nome eterno / De Portugal” é um dever de qualquer cidadão, quanto mais de uma aluno que estuda a cultura e a arte, mesmo dos cursos profissionais. Só que valorizar o que é nosso, o nosso património, bom, isso é para os outros. E eram tantos os estrangeiros com que nos cruzávamos pelas ruas do Porto. Começámos pela gare de S. Bento, ponto de encontro por excelência onde as objetivas disparavam em todas as direções à procura da melhor imagem. Mas nós estávamos noutra – a aula não pode continuar aqui. E esta foi a regra durante o percurso artístico e cultural pelas encostas acima, a caminho da Sé, e abaixo, até à Ribeira, num passeio por ruas marcadamente cosmopolitas mas estreitas, escuras e tortuosas.

Imprimir

José Micard Teixeira - Life Coach e Motivador de Mudança

Escrito por Webmaster. Publicado em Escola Secundária de Esmoriz

No passado dia 23 de maio, tivemos o prazer de receber José Micard Teixeira. Esta iniciativa decorreu da parceria existente entre o Agrupamento e o Centro Comunitário de Esmoriz e envolveu alunos do 11º e 12º anos. Licenciado em Relações Internacionais pela Universidade do Minho, trabalhou no Comité Económico e Social das Comunidades Europeias, em Bruxelas e foi Diretor-Geral de empresas no Grupo Sonae durante cerca de 10 anos. Anos mais tarde, percebendo que o seu trajeto de vida teria de mudar torna-se tornou-se Life Coach e Motivador de Mudança. Percebendo claramente a importância de entusiasmar as pessoas, em 2007 edita o seu primeiro livro e começa a ministrar palestras e workshops um pouco por todo o país. Escreveu um texto que se tornou muito conhecido depois de ter sido lido por MERYL STREEP num canal de televisão americano.

Imprimir

Uma aula diferente: a guerra colonial foi à escola!

Escrito por Webmaster. Publicado em Escola Secundária de Esmoriz

Trazer a comunidade educativa à sala de aula foi o objetivo perseguido – e conseguido – com o testemunho, na primeira pessoa, de dois familiares de alunos que serviram Portugal na guerra colonial. Um na Guiné, numa única comissão – o serviço militar obrigatório assim o determinava, – e outro em três comissões, em Angola e Cabinda mas também em Moçambique, porque numa situação profissional.

Da Guiné, o sr. José Silva, avô dum aluno do 9.º E, a 4 de maio, deu conhecimento de facto do percurso até lá chegar: primeiro na metrópole – Aveiro onde assentou praça e teve lugar o juramento de bandeira, depois Leiria, Santa Margarida, Lisboa, já mobilizado, e no Índia até Bissau, logo em 1963, o ano que iniciou as hostilidades militares. Depois Santa Luzia, Biombo… as novas armas, as munições e as armas pesadas, os tiros e a diversão: “devo ter atirado mais às aves que a um inimigo que muito raramente vi”.